Liebermann – A ALAMEDA DE BÉTULAS NO…

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

A arte é a vida e a vida tornou-se arte. Arte velha ou arte nova: o único aspecto duradouro dela é aquilo que vive. (Max Liebermann)

O pintor, gravurista e litógrafo alemão Max Liebermann (1847 – 1935) era filho de um fabricante de tecidos judeu que depois se tornou banqueiro. Antes de tornar-se artista, ele estudou direito e filosofia. A seguir estudou desenho e pintura em Berlim, Paris e Holanda. Quando esteve em Paris em sua juventude guiou-se pelos pintores holandeses como Rembrandt e Franz Hals. Só mais tarde veio a interessar-se pelo Impressionismo, tendo montado uma maravilhosa coleção de obras impressionistas francesas. Tornou-se o expoente do impressionismo alemão. Gostava de pintar seu jardim, próximo ao Lago Wannsee, e o dia a dia burguês. Embora Liebermann tivesse sido muito importante para a arte alemã, sua morte não foi noticiada pela mídia que se encontrava sob o controle dos nazistas. Sua esposa Martha Liebermann suicidou-se aos 85 anos, após ser notificada de que iria ser deportada para o campo de concentração de Theresienstadt, minutos antes de a polícia nazista chegar.

A composição intitulada A Alameda de Bétulas no Jardim Wannsee, Olhando para Oeste é uma obra do artista que criou uma série de pinturas sobre seu jardim que ficava perto do Lago Wannsee. Nesta obra é possível observar inúmeros aspectos do estilo Impressionista, como a predominância da luz e da cor. Árvores e sebes compõem diferentes cenários.

Ficha técnica
Ano: 1918
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 85,5 x 106 cm         
Localização: Niedersächsisches Landesmuseum, Hanôvar, Alemanha

 Fontes de Pesquisa:
Impressionismo/ Editora Taschen
https://en.wikipedia.org/wiki/Max_Liebermann

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *