OS COMEDORES DE BATATA (Aula nº 89 B)

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de Lu Dias Carvalho

                                                    (Clique na imagem para ampliá-la.)

Quis dedicar-me conscientemente a expressar a ideia de que essa gente que, sob essa luz, come suas batatas com as mãos, também trabalhou a terra. Meu quadro exalta o trabalho manual e o alimento que eles mesmos ganharam tão honestamente. Por isso, não desejo que ninguém o considere belo nem bom. (Van Gogh)

Por favor, peço que me envie o que você encontrar de figura nos meus desenhos antigos; eu pretendo refazer o quadro dos camponeses na mesa, com efeito à luz de lâmpada. Aquela tela deve agora ser preta, talvez eu consiga refazê-la de memória. (Carta de Van Gogh a seu irmão Theo)

A composição denominada Os Comedores de Batata é uma obra-prima do pintor holandês Vincent van Gogh, feita sob influência do realismo do pintor Millet. Ela se encontra entre as 50 mais famosas pinturas do mundo. O pintor fecha com ela a sua primeira fase, conhecida como sua fase holandesa de pintura. Sobre os personagens presentes na obra, assim se expressou o artista: Rostos ásperos e lisos, de cabeça baixa e lábios grossos, não afilados, mas cheios e semelhantes aos das pinturas de Millet. E numa carta à sua irmã Guillemina, ao falar sobre sua obra, ele diz: O que eu penso sobre o meu próprio trabalho é que a pintura dos camponeses comendo batatas, que eu fiz em Nuenen, é afinal a melhor coisa que já fiz.

Antes de concluir sua famosa tela, Van Gogh pintou cerca de 50 rostos de camponeses, como se fizesse rascunhos para chegar a essa maravilhosa pintura, portadora de grande intensidade dramática. O artista repassa para o observador a penúria em que vivem os camponeses, assim como a melancolia e a desesperança que carregam. Comprometido com a vida dos pobres, esta obra é um manifesto contra as desigualdades sociais, fato que muito machucava o pintor.

Van Gogh gostava de retratar as pessoas do campo, as mulheres em seus afazeres diários e a natureza. Não lhe agradava a sociedade burguesa e o seu pedantismo. O artista devotava uma grande paixão aos camponeses e trabalhadores, principalmente pelos valores morais e religiosos que carregavam. Amava-lhes a nobreza da simplicidade, mesmo diante da vida difícil que levavam. E achava que o mundo rural em que viviam, era menos corrupto do que o da cidade. Preferia a essência de tal realidade para pintar seus quadros. Tanto é que uma de suas obras-primas é a tela intitulada Os Comedores de Batata, onde expõe com destreza e alma uma complexa composição de figuras. Nela, ele domina com maestria os tons escuros.

Os Comedores de Batata é uma pequena tela em que se encontram retratados cinco camponeses em torno de uma mesa tosca de madeira, de formato quadrad. São quatro mulheres e um homem. Eles fazem uma frugal refeição, fruto da pobreza em que vivem. Vê-se que o local é extremamente simples, alumiado por uma fraca luz de lampião, centrada no meio do grupo, clareando os personagens. As figuras estão vestidas com roupas austeras, levando a supor que se encontram no inverno. Um velho relógio de corda marca as horas na parede à esquerda. O pintor retrata o grupo da forma mais real possível, com seus traços grosseiros, mãos maltratadas e certa desesperança no rosto. Os tons escuros são realçados pela luminosidade do lampião.

A camponesa à direita serve quatro canecas de café de cevada e malte, enquanto a mulher à sua direita, com a sua caneca na mão, aguarda sua vez. No canto inferior direito da tela está outra chaleira, provavelmente sobre o fogão, do qual se vê apenas uma pequena parte. As batatas quentes levantando fumaça são servidas numa mesma vasilha para todo o grupo.

Na obra de Van Gogh chamam a atenção:

  • as vigas à mostra iluminadas pelo lampião;
  • as duas janelas ao fundo com formatos diferentes e a porta à esquerda;
  • a coluna à direita que divide parte do ambiente;
  • a moldura e um relógio de corda pendurados na parede;
  • os vasilhames pendurados acima da mulher à direita;
  • a grande vasilha com batatas ainda quentes e as mãos ossudas das figuras;
  • as cadeiras rústicas.

Embora a composição Os Comedores de Batata não tenha sido um sucesso em sua época, nem mesmo chegando a ser exibida no Salão, conforme pedido do artista, atualmente é tida como uma das obras-primas de Van Gogh, colocada no mais alto patamar pela comunidade artística, sendo vista tal e qual o pintor queria que fosse.

Ficha técnica
Ano: 1885
Técnica: óleo sobre tela
Dimensões: 82 x 114 cm
Localização: Amsterdã, Holanda

Fontes de pesquisa
Van Gogh/ Coleção Folha
Van Gogh/ Girassol
http://www.vangoghgallery.com/painting/potatoindex.html
http://www.vggallery.com/visitors/004.htm

4 comentaram em “OS COMEDORES DE BATATA (Aula nº 89 B)

  1. Hernando Martins

    Lu

    O texto sobre a obra “Os comedores de batata” está muito explicativo e ajuda bastante no entendimento dessa maravilhosa obra.
    Va Gogh consegue mostrar em sua tela a realidade simples e digna dos camponeses das aldeias do interior da Holanda, naquele período da história. Personagens rústicos, ambiente escuro, lamparinas criando luminosidade e características do Barroco fazem da obra um ícone de sensibilidade. A obra desagradou alguns espectadores em virtude do seu realismo, mostrando os personagens e os ambientes como eles realmente eram, sem artifícios e maquiagens. Muitas pessoas preferem ocultar a realidade,para não admitir a falta de solidariedade,compaixão e justiça social em relação ao outro.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Hernando

      Você faz uma análise muito boa da obra e acertou na mosca ao mencionar que:

      “A obra desagradou alguns espectadores em virtude do seu realismo, mostrando os personagens e os ambientes como eles realmente eram, sem artifícios e maquiagens. Muitas pessoas preferem ocultar a realidade,para não admitir a falta de solidariedade,compaixão e justiça social em relação ao outro.”

      Abraços,

      Lu

      Responder
  2. Adevaldo R. Souza

    Lu

    Maravilhosa obra de Van Gogh com sua intensidade dramática e potencialidade expressiva com tons escuros. Na obra ele demonstra sua consciência quanto aos aspectos sociais, sendo fiel à simplicidade das pessoas retratadas, mostrando a pouca comida e escassez de recursos na casa e nas roupas humildes dos trabalhadores, pois a fome já rondava as baixas camadas sociais do século XIX. Muitas das grandes obras só são reconhecidas tempos depois de realizadas. O artista pretendia fazer uma crítica social devido à exploração do trabalhador rural, o que desagradou uma elite egoísta e a sociedade burguesa da época.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Em resposta a LuDiasBH.

      Adevaldo

      O artista possui, normalmente, um olhar voltado para os problemas sociais em razão de sua extremada sensibilidade. Van Gogh, sem dúvida, encontra-se entre os artistas de todos os tempos, mais comprometidos com o sofrimento das classes sociais baixas. Vemos isso no nosso Portinari, cujas obras ainda iremos estudar, quando focarmos na arte no Brasil.

      Um grande abraço,

      Lu

      Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.