SÃO JORGE E O DRAGÃO (Aula nº 62 E)

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria de LuDiasBH

(Clique na figura para ampliá-la.)

O pintor italiano de nome Jacopo Robusti, porém, conhecido como Tintoretto, é tido como um dos mais importantes nomes do Maneirismo do final do século XVI. Ao que parece, ele buscava uma pintura capaz de tocar o coração das pessoas. Ambicionava, através de sua pintura, repassar as histórias bíblicas e as lendas sagradas de um modo diferente, levando o observador a emocionar-se através da profunda dramaticidade que imprimia em suas obras. No período em que viveu Tintoretto, a arte pictórica primava pela excelência técnica e ele a dominaria muito bem, se o quisesse. Contudo, o artista buscava por caminhos novos para expressar sua arte. Não lhe interessava o acabamento meticuloso da obra, pois seu propósito era apresentar sua visão pessoal sobre a representação de lendas e mitos do passado. Assim que imaginava ter transmitido o que almejava, dava a pintura por acabada. Isso o levou em sua época a receber críticas pelo “fraco” acabamento que dava às suas telas, o que hoje é visto com um outro olhar, uma vez que os grandes inovadores da arte recusam a perfeição técnica, valorizando mais a criatividade. A obra que estudamos hoje encontra-se entre as mais conhecidas do pintor. Primeiramente é necessário acessar o link Tintoretto – SÃO JORGE E O DRAGÃO e ler o texto com muita atenção, sempre voltando a esse quando se fizer pertinente.

  1. A temática da composição refere-se a:

    1. uma cena bíblica
    2. um fato histórico
    3. uma lenda cristã
    4. uma cena mitológica

  2. O pintor representa a cena com São Jorge enfrentando o dragão, para salvar:

    1. um homem
    2. uma princesa
    3. um frade
    4. uma rainha

  3. A composição apresenta uma sucessão de linhas. Marque a alternativa incorreta:

    1. O corpo da jovem subindo a colina.
    2. O corpo do morto sobre a areia.
    3. O santo e o dragão formando um arco.
    4. Os círculos no céu e a encosta.

  4. Sobre o homem morto não podemos afirmar que:

    1. Apresenta-se com a genitália visível.
    2. Encontra-se entre o dragão e a jovem mulher.
    3. Posiciona-se à esquerda de São Jorge e seu cavalo.
    4. Sua postura lembra a de Cristo crucificado

  5. Sobre a jovem mulher não nos é possível afirmar que:

    1. A narrativa visual da cena tem início nela.
    2. Corre em direção ao observador.
    3. Seu manto verde avoluma-se para trás.
    4. Ocupa o primeiro plano da composição.

  6. Deus Pai, envolto por círculos de luz, aparece entre as nuvens para:

    1. Levar a alma do morto para o Céu.
    2. Abençoar São Jorge em sua luta contra o mal.
    3. Proteger a jovem contra as forças do mal.
    4. Observar a luta entre o bem e o mal.

  7. As cores da vestimenta da mulher estão presentes:

    Marque a alternativa incorreta

    1. na roupa do morto
    2. nas vestes do santo
    3. nas nuvens
    4. no dragão

  8. O que dá equilíbrio à parte esquerda da composição é:

    1. A jovem e o tronco inclinado formando um V
    2. O corpo estendido do homem morto.
    3. O mar azulado batendo nos rochedos.
    4. São Jorge, seu cavalo branco e o dragão.

  9. É a parte responsável por levar o olho do observador para o alto, onde se encontra Deus Pai:

    1. a asa do dragão
    2. as árvores
    3. a linha costeira
    4. a espuma das ondas

  10. Tintoretto foi capaz de aumentar a tensão e o exaspero em sua pintura ao:

    1. Pintar São Jorge transpassando a boca do dragão com sua lança.
    2. Fazer uso da luz sobrenatural e de tonalidades fracionadas.
    3. Mostrar o exato momento em que o drama atinge seu ápice.
    4. Colocar no fundo da cena o herói da narrativa.

Gabarito
1.c / 2.b / 3.d / 4.a / 5.c / 6.b / 7.d / 8.a / 9.c / 10.b

Obs.: Conheça mais uma obra do artista, acessando o link abaixo:
Tintoretto – CRISTO NO MAR DA GALILEIA

2 comentários em “SÃO JORGE E O DRAGÃO (Aula nº 62 E)

  1. Marinalva Autor do post

    Lu
    Os artistas do estilo Maneirista utilizaram da arquitetura, escultura, artes plásticas, música e literatura para apresentar uma arte diferente, que tivesse mais exagero, perturbasse com mais beleza . Pintores como Pontormo e Tintoretto deixaram obras belíssimas, como a estudada. Obras que nos mostram os avanços maneiristas , cada artista com seu modo peculiar de ver e retratar o mundo.

    Responder
    1. LuDiasBH Autor do post

      Marinalva

      A história da arte é sempre enriquecida quando se agrega a ela novos estilos. O Maneirismo, à sua maneira, foi bem peculiar. Tivemos grandes artistas que abraçaram tal estilo, como os citados por você.

      Abraços,

      Lu

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *