BUSCANDO A MELHOR DECISÃO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

Alguns momentos podem definir o rumo de nossas vidas. As decisões que tomamos são inúmeras e, muitas vezes, devemos conviver com suas consequências por bastante tempo. O vestibular, o casamento, o nascimento de um filho, um investimento, a compra de um imóvel, etc. Nessas horas, geralmente podemos estar diante de dois ou mais caminhos e precisamos tomar uma decisão. Recorremos à lógica, às emoções, aos amigos, aos pais, etc. Entretanto, o que paira no ar é um grande medo de errar. Então, o que fazer para tomar a melhor decisão?

É certo que aprendemos com nossos erros e uma decisão mal tomada pode servir de fonte para um valioso aprendizado, dependendo de como encaramos os resultados. Faz parte da vida cometer erros. Entretanto, há decisões que podem causar danos irreparáveis ou, pelo menos, levar nossas vidas para caminhos indesejados.

Você toma decisões diariamente. Tudo que fala e faz é resultado de decisões, sejam elas conscientes ou não. Não há uma fórmula fácil que indicará se você está tomando a decisão certa ou errada, não importa o tamanho dela. O melhor que se pode fazer é analisar todas as perspectivas possíveis para escolher uma ação razoável e equilibrada. Ter de tomar uma decisão importante pode ser uma tarefa difícil para qualquer pessoa. Entretanto, há formas simples que podem ser feitas para minimizar isso; buscando tomar a decisão mais acertada.

Você atualmente está diante de uma decisão importante? Então, inicie escrevendo sobre seus medos. Um diário pode ajudá-lo a entender melhor seus medos e a tomar as melhores decisões, com mais calma e tranquilidade. Em paralelo, escreva e identifique o pior cenário possível. Vá aos extremos do que pode ocorrer para tornar o processo menos intimidador. Considerar cenários negativos é importante para entendermos melhor as consequências.

Dando seguimento à tomada de decisão, analise se o caminho escolhido será permanente. Após pensar em tudo que poderia dar errado, veja se sua escolha é reversível. Muitas decisões são reversíveis, portanto, conforte-se sabendo que pode mudar de ideia caso as coisas não deem tão certo. Conversar com alguém próximo, como um amigo ou familiar, também pode ser de grande ajuda. Você não precisa tomar decisões difíceis por conta própria, procure um amigo próximo ou parente para que ele possa dar sua opinião. Compartilhe detalhes de seu dilema e seus medos sobre o que pode dar errado. Mas lembre-se de que a decisão final será sua.

Muito importante também é manter a calma. Procure deixar as emoções de lado. Emoções podem abalar nossa habilidade na tomada de decisões racionais. O primeiro passo ao se tomar uma decisão deve ser manter a calma. Caso você se sinta incapaz disso, ou seja, está mais para emoção do que para a razão, deixe para tomar sua decisão em outro momento.

Uma passagem judaica diz que ao tomar uma decisão, realmente querendo, os próprios pés vão conduzir para a sua realização.

Nota: Interior com Vaso Etrusco, obra de Matisse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *