O RONCO E A APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO

Siga-nos nas Redes Socias:
FACEBOOK
Instagram

Autoria do Dr. Telmo Diniz

pcr12 (*)

Uma em cada quatro pessoas ronca habitualmente. O problema é mais frequente em homens e obesos. O som ruidoso do ronco ocorre quando há uma obstrução à livre passagem do ar através de estruturas localizadas na parte de trás da boca e do nariz. Essa é a área de colapso das vias aéreas, onde a língua e as partes superiores da garganta encontram o palato mole (céu da boca) e a úvula (campainha). O ronco ocorre quando essas estruturas batem umas nas outras e vibram durante a respiração. O excesso de tecido, no fundo da garganta, estreita a passagem do ar e contribui para a produção do ronco, como ocorre com os obesos.

Do ponto de vista médico, o ronco perturba o padrão de sono e priva o roncador do descanso adequado, o que pode causar sérios problemas de saúde ao paciente ao longo do tempo. Cerca de 5 % dos roncadores apresentam a apneia obstrutiva do sono, caso em que o ronco é interrompido bruscamente por episódios frequentes de parada respiratória, que podem durar mais de 10 segundos e podem ocorrer mais de cinco vezes a cada hora. Esses episódios podem reduzir a saturação de oxigênio no sangue, aumentando o trabalho do coração e expondo o paciente a graves riscos cardiológicos e neurológicos, tais como:

  • hipertensão arterial,
  • arritmias cardíacas,
  • infarto agudo do miocárdio
  • e derrames cerebrais.

A apneia faz também com que o roncador não tenha um sono reparador, o que causa sonolência diurna e traz uma série de riscos, como acidentes de trânsito, por exemplo; além da redução na capacidade de trabalho.

Sintomas

Sintomas comuns da apneia obstrutiva do sono durante a noite incluem:

  • ronco alto,
  • sono agitado,
  • paradas respiratórias,
  • engasgos, pesadelos
  • e acordadas frequentes para urinar.

Já durante o dia, a pessoa pode apresentar:

  • sonolência diurna com sensação de cansaço,
  • dificuldade de concentração,
  • irritabilidade,
  • redução da libido,
  • dor de cabeça matinal
  • e boca seca ao acordar.

Pessoas que roncam com facilidade, em qualquer posição, devem procurar um médico. Através de um exame completo do nariz, boca, garganta, palato e pescoço, o otorrinolaringologista realizará o diagnóstico e indicará o tratamento adequado. Para um diagnóstico completo do ronco é necessário a polissonografia, um exame que determina a gravidade do ronco e da apneia, bem como o efeito sobre a saúde do paciente.

Dentre os tratamentos existentes podemos destacar:

  • orientação dietética para redução do peso,
  • adaptação de aparelhos intra-orais,
  • adaptação de aparelhos de respiração (PAPs),
  • tratamentos cirúrgicos.

O tratamento escolhido será decidido de acordo com cada caso.

Dicas

Vão aí algumas dicas para os roncadores:

  • perder peso com exercícios físicos e adotar um padrão de alimentação saudável,
  •  não ingerir tranquilizantes, soníferos, ou anti-histamínico antes de dormir,
  • evitar álcool, lanches ou refeições pesadas, pelo menos, quatro horas antes de deitar-se,
  • dormir de lado ao invés de “barriga pra cima”
  • e manter a cabeceira da cama 10 cm elevada.

(*) Imagem copiada de linguaportuguesatiade.blogspot.com

Um comentário sobre “O RONCO E A APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO

  1. LuDiasBH Autor do post

    Dr. Telmo

    Além dos perigos causados pelo ronco e pela apneia, dormir ao lado de alguém com tais problemas é terrível. Em suma, a pessoa não consegue dormir direito, também.

    Excelente texto!

    Lu

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *